Política

Câmara retomará nesta terça-feira (30) votação da MP de ajuda a empresas

29 de Junho de 2020 às 07h43 - Por: Agência Câmara Foto: Maryanna Oliveira | Câmara dos Deputados
[Câmara retomará nesta terça-feira (30) votação da MP de ajuda a empresas]

MP autoriza a concessão de crédito para pequenas e médias empresas pagarem suas folhas de salários

O Plenário da Câmara dos Deputados vai retomar na terça-feira (30) a análise da Medida Provisória 944/20, que concede uma linha de crédito especial para pequenas e médias empresas pagarem sua folha de salários em meio à crise decorrente do coronavírus. A MP é o item único da primeira sessão de terça, marcada para as 13h55.

Entre outros pontos, o texto do relator autoriza os empréstimos para financiar salários e verbas trabalhistas por quatro meses. O texto original da MP previa o empréstimo para pagamento de salários por dois meses.

Receita até R$ 50 milhões
O relator ampliou ainda os tipos de pessoas jurídicas que poderão ter acesso ao empréstimo subsidiado. Além de empresários, sociedades empresárias e sociedades cooperativas, exceto as de crédito, poderão recorrer a ele as sociedades simples, as organizações da sociedade civil e os empregadores rurais (pessoas físicas ou jurídicas).

Para pedir o empréstimo, o interessado deve ter obtido, em 2019, receita bruta anual superior a R$ 360 mil e igual ou inferior a R$ 50 milhões. O texto original fixava o limite superior em R$ 10 milhões.

As operações de empréstimo poderão ocorrer até 31 de outubro de 2020, em vez de 30 de junho, como previa a MP original.

Segundo o Banco Central, cerca de 107 mil empresas contrataram esse empréstimo até o dia 22 em um valor global de R$ 4 bilhões, beneficiando cerca de 1,8 milhão de trabalhadores. A estimativa do governo era atingir 12 milhões de funcionários em 1,4 milhão de empresas.

Pagamento direto
Se o empregador mantiver o pagamento da folha de salários na instituição financeira com a qual negociar o empréstimo, o pagamento aos funcionários deverá ser feito diretamente pela instituição.

De qualquer modo, o pagamento somente poderá ser feito com depósito em conta titular do trabalhador. Além disso, o contrato deverá especificar as obrigações, entre as quais a de não demitir, sem justa causa, os empregados durante o período da contratação e por até 60 dias após a liberação da última parcela da linha de crédito.

A proibição de demitir será na mesma proporção da folha de pagamento financiada. Assim, se o empregador optar por financiar o pagamento dos salários de metade dos funcionários, a proibição de demitir será restringida a esse pessoal.

Além de ter de fornecer informações verdadeiras sobre sua folha de pagamento, o contratante não poderá usar os recursos para finalidade diferente do pagamento da folha ou de verbas trabalhistas. Se descumprir essas condições, o vencimento da dívida será considerado antecipado.

Subsídio
Chamado de Programa Emergencial de Suporte a Empregos, o mecanismo funcionará com repasse de R$ 34 bilhões da União para o Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), que será o agente financeiro do governo a título gratuito, ou seja, sem remuneração.

O programa prevê a participação de instituições financeiras privadas na concessão do empréstimo, que entrarão com 15% dos recursos emprestados ao tomador final. Os outros 85% virão desse valor colocado no BNDES, que repassará aos bancos e receberá os reembolsos das parcelas ou cobranças, devolvendo os recursos à União.

O pedido de empréstimo poderá ser feito no valor equivalente a dois salários mínimos por empregado (R$ 2.090,00).

No entanto, o relator retirou a exigência de que, para ter acesso à linha de crédito, a empresa tivesse sua folha de pagamento processada por instituição financeira participante do programa.

Comentários

Outras Notícias

[Bolsonaro desembarca em Santa Catarina para verificar áreas atingidas por “ciclone bomba”]
Política

Bolsonaro desembarca em Santa Catarina para verificar áreas atingidas por “ciclone bomba”

04 de Julho de 2020

Pelo menos 185 cidades catarinenses sofreram com o fenômeno

[Jair Bolsonaro confirma visita a Bahia em julho]
Política

Jair Bolsonaro confirma visita a Bahia em julho

03 de Julho de 2020

Presidente afirmou que acompanhará obras da Transnordestina

[Durante celebração do Dois de Julho, Rui Costa e ACM Neto se cumprimentam com cotovelos e dão exemplo de cortesia na pandemia]
Política

Durante celebração do Dois de Julho, Rui Costa e ACM Neto se cumprimentam com cotovelos e dão exemplo de cortesia na pandemia

03 de Julho de 2020

Governador publicou registro do momento em seu perfil do Instagram

[Gestão de Geraldo Júnior consegue que banco negocie dividas de servidores da Câmara Municipal ]
Política

Gestão de Geraldo Júnior consegue que banco negocie dividas de servidores da Câmara Municipal

03 de Julho de 2020

Benefício que começou a valer neste mês de julho foi uma gestão do presidente do legislativo

[Prefeito de Camaçari faz cobranças a Rui Costa e pede atitude para conter Covid-19: “Tem que assumir a responsabilidade”]
Política

Prefeito de Camaçari faz cobranças a Rui Costa e pede atitude para conter Covid-19: “Tem que assumir a responsabilidade”

03 de Julho de 2020

Antonio Elinaldo cobra do governador uma centralização das ações de combate à doença: “Cada município faz o que quer”

[Bolsonaro ainda não foi recebido como chefe de Estado na Europa, afirma coluna]
Política

Bolsonaro ainda não foi recebido como chefe de Estado na Europa, afirma coluna

03 de Julho de 2020

Em mais de um ano de governo, Bolsonaro ainda não fez nenhuma viagem à Europa

Galeria

[Barragem se rompe e inunda ruas da cidade de Coronel João Sá]

Barragem se rompe e inunda ruas da cidade de Coronel João Sá

11 de Julho de 2019

Ver todas as galerias

Vídeos

[Prefeito de Itabuna afirma que reabertura do comércio vai acontecer “morra quem morrer”]

Prefeito de Itabuna afirma que reabertura do comércio vai acontecer “morra quem morrer”

03 de Julho de 2020

Ver todos os vídeos