Justiça

STF declara impressão do voto pela urna eletrônica inconstitucional

15 de Setembro de 2020 às 16h24 - Por: Agência Brasil Foto: Reprodução // Agência Brasil
[STF declara impressão do voto pela urna eletrônica inconstitucional]

Minirreforma eleitoral de 2015 previa a impressão do comprovante

O plenário do Supremo Tribunal Federal (STF) decidiu declarar, por maioria, inconstitucional a impressão de um comprovante de votação pela urna eletrônica, conforme previa a minirreforma eleitoral de 2015.

A impressão do voto já se encontrava suspensa por força de uma liminar (decisão provisória) concedida também pelo plenário do Supremo, em junho de 2018, alguns meses antes da eleição presidencial daquele ano.

A liminar havia sido pedida pela então procuradora-geral da República, Raquel Dodge, que entre outros argumentos disse haver o risco de o sigilo do voto ser violado. Seria o caso, por exemplo, das pessoas com deficiência visual, que necessitariam de auxílio para verificar as informações no voto impresso.

Com esta decisão, torna-se definitivo o entendimento do relator da ação, ministro Gilmar Mendes, que concordou ser o voto impresso inconstitucional por ameaçar a inviolabilidade do sigilo da votação e ainda favorecer fraudes eleitorais.

O julgamento foi realizado na sessão encerrada às 23h59 de segunda-feira (14) do plenário virtual, ambiente digital em que os ministros têm um prazo, em geral de uma semana, para votar remotamente por escrito.

A impressão do voto foi aprovada em 2015 no Congresso com a justificativa de garantir meios para embasar eventuais auditorias nas urnas eletrônicas. A então presidente Dilma Rousseff chegou a vetar a medida, alegando entre outros pontos o “alto custo” de implementação, de R$ 1,6 bilhão, segundo o Tribunal Superior Eleitoral (TSE). O veto, entretanto, foi depois derrubado pelos parlamentares.

Em seu voto, Mendes destacou que não se pode utilizar “uma impressora qualquer” para a emissão do voto, sendo necessário o desenvolvimento de um equipamento ao mesmo tempo "inexpugnável" e capaz de inserir o comprovante de votação em um invólucro lacrado.

“Se assim não for, em vez de aumentar a segurança das votações, a impressão do registro será frágil como meio de confirmação do resultado e, pior, poderá servir a fraudes e a violação do sigilo das votações”, escreveu o ministro.

Mesmo que fosse possível a produção de tal equipamento, ainda haveria o desafio de programá-lo com um software compatível com os requisitos de segurança da urna eletrônica, destacou Gilmar Mendes.

“De outra forma, a impressora poderia ser uma via para hackear a urna, alterando os resultados da votação eletrônica e criando rastros de papel que, supostamente, os confirmassem”, afirmou o ministro, que foi seguido pela maioria do plenário do Supremo.

Comentários

Outras Notícias

[Vídeo: acusado de assassinar William Oliveira, Iuri Sheik explica afirmação de que não estaria arrependido e manda recado para jovens]
Justiça

Vídeo: acusado de assassinar William Oliveira, Iuri Sheik explica afirmação de que não estaria arrependido e manda recado para jovens

21 de Setembro de 2020

Influencer deixou a prisão na última segunda-feira (14)

[Maia afirma que tema do meio ambiente não pode ser disputa política]
Justiça

Maia afirma que tema do meio ambiente não pode ser disputa política

21 de Setembro de 2020

Em evento sobre clima, Maia afirmou que governo foi "estimulado"

[MP recomenda aos municípios de Nova Soure e Cipó que garantam doação de sangue pela população LGBTI]
Justiça

MP recomenda aos municípios de Nova Soure e Cipó que garantam doação de sangue pela população LGBTI

21 de Setembro de 2020

Recomendações visam combater a discriminação, promover a igualdade de tratamento e diminuir o decréscimo no volume de doações sanguíneas

[Justiça determina que Flordelis use tornozeleira eletrônica e fique em recolhimento domiciliar]
Justiça

Justiça determina que Flordelis use tornozeleira eletrônica e fique em recolhimento domiciliar

18 de Setembro de 2020

Deputada federal é acusada de ser mandante do assassinato do seu marido, pastor Anderson de Carmo

[Após comparar servidores baianos com
Justiça

Após comparar servidores baianos com "parasitas", Paulo Guedes é condenado a pagar multa de R$ 50 mil

18 de Setembro de 2020

Sindipol informou que doará valor para hospitais; AGU recorrerá da decisão

[STF nega habeas corpus para ex-secretário estadual condenado por assédio sexual contra funcionárias]
Justiça

STF nega habeas corpus para ex-secretário estadual condenado por assédio sexual contra funcionárias

18 de Setembro de 2020

Almiro Sena comandou pasta de Justiça e Direitos Humanos da Bahia até 2014, quando pediu exoneração

Galeria

[Prefeitura inaugura sexto elevado do BRT]

Prefeitura inaugura sexto elevado do BRT

02 de Setembro de 2020

Ver todas as galerias

Vídeos

[Vídeo: acusado de assassinar William Oliveira, Iuri Sheik explica afirmação de que não estaria arrependido e manda recado para jovens]

Vídeo: acusado de assassinar William Oliveira, Iuri Sheik explica afirmação de que não estari...

21 de Setembro de 2020

Ver todos os vídeos