Justiça

Liminar do STF diz que militares não podem intervir em outros poderes

13 de Junho de 2020 às 13h17 - Por: Agência Brasil Foto: Reprodução // Agência Brasil
[Liminar do STF diz que militares não podem intervir em outros poderes]

Governo diz que Forças Armadas “não cumprem ordens absurdas”

O ministro Luiz Fux, do Supremo Tribunal Federal (STF), emitiu decisão nesta sexta-feira (12) esclarecendo que o Artigo 142 da Constituição Federal não autoriza a intervenção das Forças Armadas sobre o Legislativo, o Judiciário ou o Executivo.

Após a decisão, por meio das redes sociais, em nota assinada pelo presidente Jair Bolsonaro, pelo vice-presidente Hamilton Mourão e pelo ministro da Defesa, Fernando Azevedo, os representantes do governo federal afirmaram que “as FFAA [Forças Armadas] do Brasil não cumprem ordens absurdas, como p. ex. a tomada de Poder”.

Fux deu uma decisão liminar na Ação Direta de Inconstitucionalidade 6457, proposta pelo Partido Democrático Trabalhista (PDT) em junho deste ano, sobre a Lei Complementar 97 de 1999, que regulamentou o Artigo 142 da Constituição, relacionado à atuação das Forças Armadas. Ela foi alterada em 2004 e 2010.

O dispositivo afirma que as Forças Armadas são “instituições nacionais permanentes e regulares, organizadas com base na hierarquia e na disciplina, sob a autoridade suprema do Presidente da República, e destinam-se à defesa da Pátria, à garantia dos poderes constitucionais e, por iniciativa de qualquer destes, da lei e da ordem”.

O PDT questionou o uso da “autoridade suprema” pelo Presidente da República para utilizar as forças militares sobre outros poderes e pediu ao STF a interpretação sobre o dispositivo constitucional. Segundo o ministro Luiz Fux, as Forças Armadas são instituições de Estado, e não de governo, “indiferentes às disputas que normalmente se desenvolvem no processo político”.

De acordo com o magistrado, a autoridade suprema do presidente sobre as Forças Armadas não se sobrepõe ao respeito à ordem constitucional nem “à separação e à harmonia entre os Poderes, cujo funcionamento livre e independente fundamenta a democracia constitucional, no âmbito da qual nenhuma autoridade está acima das demais ou fora do alcance da Constituição”.

“Impõe-se, assim, reconhecer que, em um Estado Democrático de Direito, nenhum agente estatal, inclusive o Presidente da República, dispõe de poderes extra constitucionais ou anticonstitucionais, ainda que em momentos de crise, qualquer que seja a sua natureza. A Constituição bem tratou de definir os limites rígidos de atuação dos poderes estatais, seja em períodos de normalidade institucional, seja em períodos extraordinários. Destarte, todo e qualquer exercício de poder político deve encontrar validade na Constituição e nela se justificar”, acrescentou Fux.

Após a decisão do ministro Fux, o presidente Jair Bolsonaro usou as redes sociais para falar sobre o tema em nota assinada em conjunto com o vice-presidente, Hamilton Mourão e o ministro da Defesa, Fernando Azevedo.

No texto, eles destacam que as Forças Armadas “destinam-se à defesa da Pátria, à garantia dos poderes constitucionais e, por iniciativa de qualquer destes, da lei e da ordem”. E afirmam ainda que “[As Forças Armadas] também não aceitam tentativas de tomada de Poder por outro Poder da República, ao arrepio das Leis, ou por conta de julgamentos políticos”. Os três mandatários terminam declarando que o ministro Luiz Fux reconheceu em sua decisão “o papel e história das FFAA sempre ao lado da Democracia e da Liberdade”.

Apoiadores do presidente Jair Bolsonaro, em atos semanais pró-governo, vêm exibindo cartazes pedindo a intervenção das forças militares e o fechamento do Congresso e do STF. Em diferentes ocasiões, o presidente participou desses atos, mas em entrevistas negou o risco de um golpe militar.

Comentários

Outras Notícias

[TJ-BA declara ilegal paralisação da Polícia Civil e do DPT]
Justiça

TJ-BA declara ilegal paralisação da Polícia Civil e do DPT

10 de Agosto de 2020

Paralisação está prevista para esta terça-feira (11)

[Fachin nega recurso da PGR para ter acesso a dados da Lava Jato]
Justiça

Fachin nega recurso da PGR para ter acesso a dados da Lava Jato

10 de Agosto de 2020

Ministro leva o caso para julgamento no plenário do Supremo

[Após decisão do Tribunal de Justiça, ex-prefeito de Nazaré continua inelegível]
Justiça

Após decisão do Tribunal de Justiça, ex-prefeito de Nazaré continua inelegível

10 de Agosto de 2020

Milton Rabelo rebateu afirmando que “nunca foi notificado para apresentar defesa”

[STJ decide analisar recurso da União contra pagamento da aposentadoria de ex-presidente da Petrobras]
Justiça

STJ decide analisar recurso da União contra pagamento da aposentadoria de ex-presidente da Petrobras

10 de Agosto de 2020

Julgamento acontecerá nesta quarta-feira (12)

[Gilmar Mendes determina soltura de Alexandre Baldy]
Justiça

Gilmar Mendes determina soltura de Alexandre Baldy

08 de Agosto de 2020

Secretário de Transportes de São Paulo foi preso na quinta-feira

[Ministério Público paraguaio desiste de denúncia e Ronaldinho Gaúcho deve para voltar ao Brasil]
Justiça

Ministério Público paraguaio desiste de denúncia e Ronaldinho Gaúcho deve para voltar ao Brasil

07 de Agosto de 2020

Ex-jogador de futebol e o irmão estão presos em Assunção desde março

Galeria

[Barragem se rompe e inunda ruas da cidade de Coronel João Sá]

Barragem se rompe e inunda ruas da cidade de Coronel João Sá

11 de Julho de 2019

Ver todas as galerias

Vídeos

[Prefeito de Itabuna afirma que reabertura do comércio vai acontecer “morra quem morrer”]

Prefeito de Itabuna afirma que reabertura do comércio vai acontecer “morra quem morrer”

03 de Julho de 2020

Ver todos os vídeos